Informamos que o Governo de Angola está a tomar medidas ativas para prevenir o COVID-19, pelo que todos os viajantes com destino a este país devem consultar as autoridades Angolanas, nomeadamente as Embaixadas e/ou Consulados de Angola, bem como as companhias aéreas sobre as medidas em vigor, possíveis alterações de rotas e/ou possíveis restrições à entrada em território angolano, em especial para os passageiros que possam ter estado nas áreas afetadas. 

Alertamos para a importância dos cidadãos portugueses residentes em Angola estarem inscritos nos Consulados-Gerais de Benguela ou Luanda  e de terem os contactos atualizados, a fim de que a atuação dos postos consulares seja o mais eficaz possível.

A Embaixada de Portugal em Luanda recorda as recomendações pela Direção-Geral da Saúde neste âmbito: 

  • Lavar frequentemente as mãos, com água e sabão, esfregando-as bem durante pelo menos 20 segundos;
  • Tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo;
  • Reforçar a lavagem das mãos antes e após a preparação de alimentos, antes das refeições, após o uso da casa de banho e sempre que as mãos estejam sujas;
  • Usar, em alternativa, para higiene das mãos, uma solução à base de álcool;
  • Usar lenços de papel (de utilização única) para se assoar;
  • Deitar os lenços usados num caixote do lixo e lavar as mãos de seguida;
  • Evitar tocar nos olhos, no nariz e na boca com as mãos sujas ou contaminadas com secreções respiratórias.

As pessoas regressadas de uma área afetada devem estar atentas ao surgimento de febre, tosse e eventual dificuldade respiratória. Se surgirem estes sintomas, não se devem deslocar aos serviços de saúde, mas ligar para o 111 ou para o 937 503 349 (Centro Integrado de Segurança Pública) e seguir as orientações que lhes forem dadas.

Por último, recomendamos a leitura da informação mais atual disponibilizada pela Organização Mundial da SaúdeDireção-Geral da SaúdePortal das Comunidades Portuguesas, e autoridades angolanas sobre o tema. Caso se confirme um caso de coronavírus neste país, devem ser seguidas as recomendações das competentes autoridades sanitárias locais.

Para evitar a propagação do vírus, é imperativo seguir as recomendações das autoridades sanitárias locais.

  • Partilhe